segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Sistemas de Identificação de Pesquisadores

A crescente complexidade dos sistemas de pesquisa e a globalização da ciência apontam para a adoção maciça de Identificadores Digitais de Pesquisador. ORCID iD, ResearcherID, Scopus ID, Google iD e Lattes iD são exemplos de identificadores.
Encaminhamos arquivo e link para os slides da Apresentação dos Sistemas de Identificação de Pesquisadores da USP, que tem por objetivo auxilar na criação, monitoramento e nas eventuais correções das informações contidas nos registros dos identificadores digitais dos pesquisadores e profissionais em geral.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Plano de Gestão de Dados - FAPESP


A FAPESP reconhece a importância da gestão adequada dos dados de pesquisa como parte essencial das boas práticas de pesquisa. Para tanto, considera necessário que os dados resultantes de projetos financiados pela Fundação sejam gerenciados e compartilhados de forma a garantir o maior benefício possível para o avanço científico e tecnológico.
Além de racionalizar recursos, a gestão apropriada de tais dados facilita a reprodutibilidade da pesquisa e permite promover novas pesquisas, graças à possibilidade de reúso e compartilhamento. Além disto, ajuda a realização de novas análises, com execução de outros testes ou métodos de análise. Também facilita o treinamento de novas gerações de pesquisadores e a exploração de tópicos não previstos no projeto original.
Por estes motivos, um Plano de Gestão de Dados vem se tornando componente obrigatório na fase de submissão de um projeto. É exigido pela maioria das agências de fomento públicas e privadas da América do Norte, Austrália e de alguns países europeus (Grã-Bretanha, Holanda, Alemanha, países escandinavos).

Planos de gestão de dados se incorporam a projetos de pesquisa no Brasil

As solicitações de financiamento de projetos de pesquisa na modalidade Projeto Temático submetidas à FAPESP a partir de 31 de outubro devem conter um documento complementar: o Plano de Gestão de Dados, que trata das formas pelas quais o pesquisador responsável pela proposta pretende gerenciar as informações resultantes de seu trabalho. A obrigatoriedade do plano deve se estender gradativamente para outras modalidades de apoio, como as propostas de Auxílio à Pesquisa – Regular, Jovem Pesquisador, bolsas de Doutorado e de Pós-doutorado, a partir de 2018.
O comunicado sobre o requisito ressalta “a gestão adequada dos dados de pesquisa como parte essencial das boas práticas de pesquisa” e a importância de as informações oriundas de projetos financiados pela Fundação serem “gerenciadas e compartilhadas de forma a garantir o maior benefício possível para o avanço científico e tecnológico”.
Exigido por agências públicas e privadas de apoio à pesquisa científica dos Estados Unidos, da Europa e Austrália, o plano de gestão permite que pesquisadores, como parte do planejamento do seu projeto, explicitem como os dados produzidos serão tratados. O Reino Unido, por exemplo, considera que “dados resultantes de pesquisa financiada por agências públicas são um bem comum e como tal devem ser disponibilizados de forma aberta com o menor número de restrições possível, de forma responsável e em tempo hábil”. O compartilhamento facilita a economia de recursos, evita a duplicação de pesquisas, protege a integridade, reduzindo o risco de plágio, além de ampliar a visibilidade do conhecimento produzido e a possibilidade de colaboração.
O site da FAPESP contém instruções com exemplos que podem ajudar na elaboração do documento, com base em registros similares de instituições dos Estados Unidos e do Reino Unido. O plano valoriza o compartilhamento de informações por meio de repositórios públicos on-line, mas não descarta a possibilidade de o pesquisador manter os dados sob sua guarda quando, por razões éticas ou de proteção à propriedade intelectual, as informações não puderem ser publicadas, como alguns estudos da área biomédica que devem preservar a privacidade dos pacientes.

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Análise sobre as revistas científicas predatórias

Em 2008, Jeffrey Beall, bibliotecário na Auraria Library e professor associado na Universidade do Colorado em Denver, nos Estados Unidos, iniciou uma trilha em busca de respostas para a origem de intrigantes mensagens eletrônicas que recebia constantemente em sua caixa de spam. A maioria dessas mensagens eram convites para que publicasse artigos ou compusesse o corpo editorial de supostas novas revistas científicas. Motivado a descobrir que tipo de instituição enviava tais convites, Beall passou a acessar os sites indicados nas mensagens eletrônicas, identificando que a maioria dessas revistas possivelmente não era exatamente aquilo que dizia ser – e o interesse por trás dos convites realizados era o pagamento das taxas de publicação. De 2011 a 2017, Beall dedicou-se a prestar um importante serviço à comunidade científica mundial: a publicação de uma lista com os nomes de revistas e corporações consideradas predatórias, expressão que ele mesmo cunhou. Criada e atualizada por meio de suas pesquisas e de denúncias realizadas por cientistas de todo o mundo, a chamada “Lista de Beall” logo se tornou referência mundial sobre o tema, sendo disponibilizada em seu blog (https://scholarlyoa.com/). 

Um  crescimento  acentuado  no  número  desse tipo  de  publicação,  que segue  a  lógica de “pagou, publicou”, pode ser observado depois que a política open access ganhou força. As publicações de acesso livre têm na sua gênese o objetivo de democratizar as publicações de artigos de qualidade, avaliados criteriosamente com todo rigor científico. O custeio no sistema open access oficial se dá pelo pagamento de taxas de publicação pelos autores, instituições ou agências financiadoras.   Leia mais

Fonte: Ciência&Cultura, vol.69, no.4, São Paulo, out./dez. 2017.  

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

USP Lecture: “Learning How to Learn”

A Professora Barbara Oakley estará na Universidade de São Paulo, Campus Butantã nos dias 13 e 14 de novembro para proferir palestras e realizar atividades com alunos e professores, essencialmente sobre os temas “Aprender a aprender” e “criação de cursos à distância em formato MOOC”.

Barbara Oakley é Professora de Engenharia na Oakland University. Atua em múltiplas áreas de pesquisa, que vão desde o aprendizado STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática) até práticas de aprendizagem.
Barbara é co-criadora e instrutora do curso em formato MOOC mais popular disponível no Coursera: “Learning How To Learn: Powerful mental tools to help you master tough subjects”.

Confira a programação abaixo:

Dia 13/11 às 14:00 horas
USP Lecture: “Learning How to Learn” (em inglês)
Sala do Conselho Universitário
Rua da Reitoria, 374 – térreo
Cidade Universitária – São Paulo/SP

Dia 14/11, das 9:00 às 16:00 horas
Workshop: “Online teaching and learning and how to develop MOOCs” (em inglês)
Sala do Conselho Universitário
Rua da Reitoria, 374 – térreo
Cidade Universitária – São Paulo/SP

As atividades são gratuitas, não requerem inscrição prévia e haverá emissão de certificado (será enviado por e-mail após os eventos). Será transmitido online via iptv: https://iptv.usp.br

Jornada USP de Organização da Informação para a Redação Científica e Acadêmica

Em novembro acontece a Jornada USP de Organização da Informação para a Redação Científica e Acadêmica nos diversos campi da USP. A Jornada pretende ser um espaço e um período de forte promoção da importância da organização da informação para a pesquisa, redação e publicação de artigos, teses, trabalhos, com a realização de diversos treinamentos.
A organização das informações, citações e referências bibliográficas é essencial à qualidade da escrita científica e acadêmica. 
ZoteroMendeleyEndNote WebF1000Workspace são exemplos de ferramentas que servem à mesma finalidade: todas permitem que o pesquisador crie um banco de dados de registros que pode ser utilizado para gerenciar leituras, importar registros de bases de dados, escolher estilos e padrões de citações e referências, integrar essas informações a textos e facilitar a redação de trabalhos acadêmicos e científicos.

== 27 de novembro de 2017 ==

Treinamento Mendeley (Gerenciador de Referências) – Scopus – ScienceDirect na Jornada USP – CENA
Data: 
27 de novembro de 2017
Horário: 
9h – 12h 
Local: 
Auditório do CENA-USP 
Centro de Energia Nuclear na Agricultura
Avenida Centenário, 303 - Piracicaba/SP

Inscrições:
 
https://www.doity.com.br/jornada-mendeley-cena-27nov2017

Já são quase 3 mil registros ORCiD associados! Campanha de adoção do ORCiD na USP

Campanha de adoção do identificador ORCiD faz USP aproximar-se da marca dos 3.000 registros associados à Universidade, segundo dados coletados na USP. No âmbito geral, já são quase 9 mil ORCiD registrados com e-mail usp.br, de acordo com informações fornecidas pela ORCID

Mensagem da Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP) enviada no final do mês de outubro a docentes e estudantes de pós-graduação deu início à Campanha de adoção do ORCiD na USP. Uma semana depois, já contabilizamos 2.939 registros ORCiD associados e coletados na USP.


Crie ou associe seu ORCiD à USP no link: http://www.usp.br/orcid 
O cadastramento e atualização de informações no ORCiD são muito importantes, e extremamente simples. Após o registro inicial de seus dados, incluindo as variações de seu nome, certifique-se de que as informações referentes à Biografia, Educação e Emprego estejam corretas e atualizadas. Em seguida, caso tenha, preencha os campos referentes ao Financiamento (incluindo Fapesp). Integre seu registro a outros sistemas de identificação como  o ResearcherID, Scoups ID e Crossref (DOI). Adicione ou importe então seus Trabalhos.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

3ª Marcha pela Ciência reunirá cientistas e pesquisadores em São Paulo

A 3ª Marcha pela Ciência acontecerá no dia 8 de outubro, a partir das 15 horas, em frente ao MASP (Museu de Arte de São Paulo), na Avenida Paulista, 1578.
O objetivo do evento é reunir a população para protestar contra os cortes orçamentários previstos pelo governo federal para 2018 e pela reversão imediata dos cortes já realizados em 2017 na área de Ciência e Tecnologia; pela revitalização dos Institutos de Pesquisa do Estado de São Paulo; e contra o desmonte das universidades públicas em todo o país.
Mais informações na página da Marcha pela Ciência no Facebook.

Programa de Mobilidade incentiva criação de cursos de duplo diploma

O objetivo é incentivar a criação de cursos de duplo diploma ou dupla titulação com universidades estrangeiras
Estão abertas as inscrições para o Programa USP-Santander de Mobilidade Docente para o Estabelecimento de Duplo Diploma ou Dupla/Múltipla Titulação Internacional da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional (Aucani). O programa concederá auxílio financeiro para 50 missões internacionais de até dois docentes da Universidade para a implementação de convênios com universidades estrangeiras e estabelecimento de novos cursos de duplo diploma de Graduação ou dupla titulação de Pós-Graduação.
O valor do benefício para cada docente é de R$ 9.610,50. Para concorrer, os interessados devem apresentar um projeto para a implementação de convênio de Duplo Diploma ou Dupla Titulação com instituição estrangeira de destacada produção acadêmica. A proposta deverá ter o aval do diretor da Unidade e do presidente da Comissão de Graduação da Unidade (no caso de duplo diploma) ou do coordenador do Programa de Pós-Graduação (no caso de dupla ou múltipla titulação), além da aprovação do responsável pela Instituição de Ensino Superior estrangeira.
Como explica o presidente da Aucani, Raul Machado Neto, “o objetivo é expandir a experiência de sucesso dos duplos diplomas na USP e estimular um papel ativo dos nossos cursos de graduação e programas de pós-graduação na identificação de parceiros internacionais e estratégicos. Este programa contribuirá para a internacionalização e para consolidar a excelência do nosso ambiente acadêmico”.
As missões devem ser realizadas no período de 22 de janeiro a 31 de agosto de 2018 e ter duração mínima de cinco dias.
O edital completo está disponível no Sistema Mundus. As inscrições podem ser feitas até o dia 24 de novembro, pela internet.

Editais selecionam professores para representações acadêmicas

Os representantes da USP irão atuar na Universidade de Barcelona (UB) e na Universidade Sorbonne (USPC)

A Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional (Aucani) está lançando dois editais para professores, de qualquer área do conhecimento, que tenham interesse em se candidatar à função de representantes da USP na Universidade de Barcelona (UB) e na Universidade Sorbonne (USPC).

A instalação de representações universitárias da USP nas duas instituições tem como objetivo gerar um polo de referência presencial para o incremento qualitativo e quantitativo das relações acadêmicas e de pesquisa. Os representantes também terão o compromisso de promover ações institucionais para facilitar o intercâmbio de estudantes e pesquisadores, o desenvolvimento de projetos conjuntos e a organização de eventos.

Esta será a primeira vez que a USP terá uma representação na Universidade de Barcelona. O início das atividades será em fevereiro do próximo ano e terá a duração de três meses. No ano passado, no período de outubro a dezembro, a USP recebeu o professor espanhol José María Fernández Varea, da área de Física Nuclear, Atômica e Molecular do Departamento de Estrutura e Constituintes da Matéria da UB.

Já o escritório da USPC foi inaugurado na USP em fevereiro de 2015, com a chegada do professor francês Philip Miller, especialista em sintaxe e semântica e pragmática discursiva. Este ano, a USPC recebeu o professor do Departamento de Química da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP), Antonio Claudio Tedesco, que foi o primeiro selecionado para coordenar o escritório de representação da USP na instituição francesa. O início das atividades do novo representante será em março de 2018 e duração de um ano.

Os editais completos para a seleção de professores para representação acadêmica estão disponíveis no sistema Mundus. Para a Universidade de Barcelona, as inscrições podem ser feitas até o próximo dia 8 de dezembro e, para a USPC, até o dia 15 de dezembro.

Festa do Livro de 2017 será realizada entre os dias 28/11 e 1/12

Mais de 150 editoras já estão confirmadas, oferecendo livros com desconto mínimo de 50%


A 19ª Festa do Livro será realizada entre os dias 28 de novembro e 1º de dezembro, das 9h às 21h, na Cidade Universitária, em São Paulo.

Organizada anualmente pela Editora da USP (Edusp) desde 1999, a Festa do Livro é um evento que procura aproximar editoras e leitores, oferecendo livros de qualidade a preços especiais, com desconto mínimo de 50%. Mais de 150 editoras já confirmaram a presença.

O evento acontece no mesmo espaço dos anos anteriores, com uma estrutura de galpões e tendas que totalizam 3.600 metros quadrados, na Av. Prof. Mello Moraes, travessa C (entre a Raia Olímpica e Praça do Relógio Solar), Cidade Universitária, em São Paulo. A entrada é gratuita.

A lista das editoras participantes e o catálogo dos livros oferecidos com os preços estarão disponíveis em breve na página oficial do evento. Mais informações sobre a Festa do Livro pelo       e-mail festadolivro@usp.br.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Visibilidade imprevisível

Boa disseminação dos resultados de pesquisa depende de outras razões, além da publicação em periódicos com alto fator de impacto
Algumas das recompensas perseguidas pelos pesquisadores – reconhecimento dos resultados da pesquisa, oportunidades de parcerias e financiamento para projetos – têm chances maiores de se tornar viáveis se estiverem ligadas à publicação de artigos em revistas com alto fator de impacto (FI). No entanto, não basta ter artigos aceitos nos periódicos de maior prestígio para receber obrigatoriamente mais citações, assim como fazê-lo em revistas com FI mais baixo não implica um destino irrelevante para o trabalho do cientista. A disseminação dos resultados das pesquisas e sua recepção pela comunidade científica dependem também de outros fatores.
“A publicação em revistas muito concorridas não garante que os artigos sejam necessariamente mais citados”, ressalta Gilson Volpato, professor aposentado da Universidade Estadual Paulista e especialista em metodologia e redação científica. O advento da internet mudou profundamente a maneira como os papers são disseminados na comunidade científica. Por um lado, periódicos impressos passaram a publicar seus conteúdos on-line, mas com acesso restrito, garantido por assinatura ou remuneração por artigo acessado. Por outro, a internet abriu uma via para a criação de publicações de acesso aberto que só existem on-line, como a PLOS ONE, e de repositórios de preprints, como arXiv e bioRxiv, que disponibilizam manuscritos para leitura e comentários antes de serem submetidos aos periódicos para publicação.  Leia mais

Formação diversificada

Mudar de instituição na pós-graduação é enriquecedor para a construção de um forte perfil acadêmico

Muitos estudantes prestes a concluir a graduação não conseguem se ver em uma instituição diferente da qual estão matriculados. A maioria está acostumada com a universidade, familiarizada com os professores e, às vezes, participa de projetos de pesquisadores seniores, o que facilita a solicitação de bolsa de mestrado, doutorado ou pós-doutorado. Essas são razões pelas quais emendar todas as etapas da carreira acadêmica na mesma instituição costuma ser tentador. Mas há motivos para se fazer o caminho contrário. Começar tudo do zero em outro lugar pode ser enriquecedor para a construção da carreira profissional, permitindo ao indivíduo entrar em contato com novos grupos de pesquisa, diversificar suas habilidades científicas e intelectuais e experimentar diferentes rotinas de trabalho.

No Brasil, os estudantes normalmente têm o primeiro contato com a pesquisa acadêmica durante a graduação por meio de programas de iniciação científica, cujos temas frequentemente estão alinhados aos objetivos e necessidades dos projetos coordenados pelos orientadores. Os grupos de pesquisa costumam reunir indivíduos em diferentes estágios de desenvolvimento profissional, de modo que os coordenadores identifiquem as características de cada integrante da equipe, avaliem suas capacidades e limitações e distribuam as atividades de acordo com o nível de formação de cada um. “Ao ser integrado a um grupo de pesquisa, o estudante tende a querer se aprofundar em determinado assunto, optando por fazer mestrado e doutorado no mesmo laboratório, sob orientação do mesmo professor”, diz a bióloga Maria de Lourdes Spazziani, professora do Instituto de Biociências da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu. “Ao mesmo tempo, os professores, ao investirem na formação dos graduandos, incentivam a permanência dos alunos nos seus grupos de pesquisa”, completa.  Leia mais

A Ciência Explica – Portal de divulgação científica


O portal é voltado para um público que possui um menor contato com o meio científico, mas que, sem se dar conta, usufruem diretamente de tecnologias geradas pelas pesquisas científicas
O portal de divulgação científica, A Ciência Explica, surgiu a partir da união de ideias de dois jovens pesquisadores que viam uma necessidade em expor os acontecimentos e descobertas do mundo científico de uma forma mais simplificada para a sociedade, afim de aproximá-las às instituições de pesquisa. Logo, o portal é voltado para um público que possui um menor contato com o meio científico, mas que, sem se dar conta, usufruem diretamente de tecnologias geradas pelas pesquisas científicas.
Dessa forma, o intuito do portal é proporcionar aos leitores um melhor entendimento sobre a importância das pesquisas científicas para o desenvolvimento do País e da humanidade. Pretendemos informar e divertir nossos leitores através de notícias, entrevistas originais, curiosidades, cobertura de eventos e indicações de livros, filmes, séries e outros meios de entretenimento que flertam com a ciência.

8º Simpósio de Ética no Uso de Animais

A Pró Reitoria de Pesquisa convida a todos a participarem do 8º Simpósio de Ética no Uso de Animais da Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) da USP. 

O evento pretende discutir o progresso do conhecimento humano e sua relação com a necessidade de utilização de animais em experimentação científica e ensino, considerando que o animal é um ser vivente e precisa de respeito e uma legislação que lhe assegure esse direito. A programação conta com temas como "Por que utilizar animais em pesquisa?"; "Importância da qualidade do modelo animal para a reprodutibilidade de resultados; e Anestesia e Eutanásia em animais utilizados no ensino e pesquisa".

Data: 6 e 7 de novembro de 2017
Horário: 8h30 às 17h30
Local: Anfiteatro da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto
Rua Prof. Aymar Baptista Prado, 835 - Ribeirão Preto - SP

A inscrição é online através do link http://bit.ly/2z4eB71

OECD oferece recursos multidisciplinares para pesquisadores


A organização disponibiliza coleções mutidisciplinares de estatísticas, livros, periódicos e obras de referência com um período de cobertura que varia desde 1961 até o ano corrente.
Ao realizar uma pesquisa com o termo OECD na opção Buscar base, do Portal de Periódicos,
o usuário encontra uma lista com mais de 30 resultados. As coletâneas estão divididas para
facilitar o acesso à informação procurada.
Todos os dados da editora estão reunidos na OECD iLibrary, que é uma plataforma online projetada para auxiliar estudantes, docentes, pesquisadores, bibliotecários e demais usuários envolvidos com as áreas de Ciências Exatas, Biológicas, Ambientais, Agrárias, Humanas, Sociais Aplicadas, da Saúde e Engenharias.
A OECD iLibrary possui ferramentas para análise de dados e inclui documentos de órgãos como a Agência Internacional de Energia (International Energy Agency – IEA), a Agência de Energia Nuclear (Nuclear Energy Agency – NEA), o Centro de Desenvolvimento da OECD, e o PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes).
Além da pesquisa pelo link Buscar base, também é possível localizar e-books e revistas
científicas individualmente pelas opções Buscar livro e Buscar periódico.
Recentemente o Portal de Periódicos disponibilizou um tutorial sobre a OECD, que detalha os recursos disponibilizados pela ferramenta para facilitar e maximizar a experiência de pesquisa do usuário. O guia pode ser acessado na área de Materiais didáticos ou diretamente neste link.

Seminário do Portal de Periódicos discutirá temas para a comunidade acadêmico-científica

Nos dias 6 e 7 de novembro, editores e membros da comunidade acadêmico-científica brasileira e internacional se reunirão na sede da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), em Brasília, para o Seminário do Portal de Periódicos 2017. O evento tem o objetivo de debater temas relevantes, vinculados ao acesso a conteúdos científicos, entre os parceiros e o público que utiliza a biblioteca virtual da CAPES.
A programação do Seminário 2017 será composta por quatro grandes temas: avaliação da produção científica, acesso aberto, modelos de assinatura de conteúdo e políticas públicas de acesso à informação. Os assuntos serão apresentados por editores internacionais e outros palestrantes de instituições do exterior, como Estados Unidos, Colômbia, Chile, Portugal e Suíça.

A temática vem sendo amplamente discutida pelas equipes de especialistas que atuam em prol do Portal de Periódicos, como o Conselho do Programa de Apoio à Aquisição de Periódicos (PAAP) e o Grupo de Trabalho (GT). A intenção é ampliar a discussão para representantes da comunidade nacional e internacional, trazendo ideias sustentáveis que poderão ser adaptadas e aplicada à realidade do Brasil.

O Portal de Periódicos

O Portal de Periódicos é uma das maiores bibliotecas virtuais do mundo: disponibiliza a usuários de mais de 400 instituições de ensino e pesquisa no Brasil o melhor da produção científica nacional e internacional. A biblioteca virtual da CAPES se consagrou como um instrumento fundamental para a disseminação do conteúdo científico, tecnológico, acadêmico e de inovação. 

Ao longo de 17 anos, o Portal vem apresentando uma trajetória de crescimento constante, reunindo múltiplos conteúdos em um único espaço virtual. Os usuários encontram hoje mais de 38 mil títulos de revistas científicas, além de patentes, normas técnicas, teses e dissertações, obras de referência, arquivos abertos e redes de e-prints, estatísticas, livros, entre outros tipos de materiais.

O Portal de Periódicos foi criado principalmente para:

- Democratizar, facilitar e agilizar o acesso à informação científica no país; 
- Oferecer conteúdos atualizados e de alto nível; 
- Promover a inserção da produção científica brasileira no circuito internacional.


terça-feira, 31 de outubro de 2017

1º Festival + Arte + Cultura


Chegou a sua vez de demonstrar seu talento, apresentar suas produções artísticas e ainda concorrer a prêmios!

Esse ano o já tradicional Programa Nascente atingiu a marca de quase 10 mil alunos participantes ao longo de 25 edições, revelando novos talentos, estimulando a produção artística na universidade e projetando nomes de destaque no cenário nacional.
No entanto, o corpo funcional da USP também esconde talentos que merecem ser revelados. Por isso, a Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária está lançando o programa + ARTE + CULTURA, que buscará os melhores trabalhos nas áreas de artes plásticas, dança, música e texto.
Todos os trabalhos finalistas se apresentarão em um festival e os vencedores de cada área, selecionados por um júri e voto popular, receberão um prêmio de R$ 4 mil.
As inscrições estão abertas de 17 de outubro a 17 de novembro. Veja o regulamento completo em prceu.usp.br/artecultura e participe!  Leia o Regulamento Geral.

Ciência Hoje faz parte do acervo do Portal de Periódicos

O Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) indexa a publicação editada pelo Instituto Ciência Hoje (ICH) – entidade que atua há mais de 35 anos na área de divulgação científica. A disponibilização do conteúdo tem a intenção de favorecer o acesso a informações qualificadas sobre os diferentes campos da ciência e abrir espaço para a divulgação da produção dos pesquisadores brasileiros.Parceiro da CAPES, o ICH é referência nacional em publicações pautadas na popularização da ciência e da tecnologia. O título – detalhado abaixo – é de acesso aberto e pode ser acessado por qualquer pessoa.

Ciência Hoje
A revista CH tem seus objetivos alinhados com a CAPES na missão de expandir e consolidar a pós-graduação stricto sensu no Brasil, especialmente em relação à intenção de investir na formação de recursos humanos de alto nível no país e no exterior. O título tem o compromisso de levar a um público amplo as pesquisas científicas e tecnológicas realizadas, sem perder de vista os grandes avanços científicos mundiais e seu impacto na sociedade brasileira. 

Com textos claros e acessíveis, a publicação amplia o conhecimento de estudantes, pesquisadores, jornalistas e outros interessados, mostrando como a ciência pode ser fascinante e, ao mesmo tempo, compreensível. Além de fomentar a atividade de divulgação científica, CH aproxima a universidade da população e promove um debate mais amplo em torno da ciência e de seu impacto social, estimulando o senso crítico e o exercício da cidadania.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Pesquisadores do CENA lançam Atlas Palinológico

Fruto de mais de 10 anos de trabalho, uma equipe de pesquisadores do CENA/USP lança, durante o XVI Congresso da Associação Brasileira de Estudos do Quaternário, que ocorre entre os dias 21 e 27 de outubro em Bertioga/SP, o Atlas Palinológico.
A obra foi escrita, em parceria, pelo Prof. Dr. Luiz Carlos Ruiz Pessenda com os psquisadores Antônio Álvaro Buso Junior e Flávio Lima Lorante, todos do Laboratório
C-14, e o Prof. Dr. Paulo de Oliveira, docente e pesquisador do Instituto de Geociências da USP.
São registros fotográficos de microscopia de luz, em cores, de 174 pranchas com cerca de 900 espécies, com várias fotos de grão de pólen e esporos coletados no herbário da reserva de Mata Atlântica mantida pela Vale do Rio Doce na cidade de Linhares, norte do Estado do Espírito do Santo.
Segundo Álvaro, a obra servirá de importante apoio para o trabalho de pesquisadores de paleoclimatologia que estudam a mudança da vegetação ao longo do tempo, além de outros profissionais e pesquisadores de áreas correlatas.
Já Flávio lembra que a obra, bilingue (português e inglês), é rara porque apresenta uma quantidade de registros sem precendentes, permitindo a aplicação abrangente em trabalhos de comparação. Lançado pela editora FEALQ, o livro já está disponível para venda pelo site http://fealq.org.br/loja/

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Campanha de adoção do ORCiD começa na USP

Esta semana (23 de outubro de 2017) foi lançada a Campanha de adoção do ORCiD na USPuma iniciativa da Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo (PRP) em parceria com o Sistema Integrado de Bibliotecas da USP (SIBiUSP). Docentes e alunos receberam uma mensagem para criar ou associar o registro.
ORCID iD é um identificador único, gratuito de 16 dígitos (É algo como “0000-0002-0123-208X.“) que segue o indivíduo ao longo da sua carreira, independente de sua formação ou afiliação. Os Registros ORCiD armazenam informações como nome, e-mail, formação, emprego e atividades, tais como publicações, financiamentos, patentes e registro de outros trabalhos acadêmicos, por meio de uma interface que permite gerir a privacidade de seus dados. Recentemente, instituições como a CAPES e revistas internacionais como a Nature passaram a exigir o registro ORCiD em alguns de seus processos.
Em 15 de setembro de 2016, a Universidade de São Paulo (USP) passou a ser oficialmente membro institucional da ORCID. A afiliação permitirá à USP coletar e gerar ORCID iDs autenticados ou autenticar os ORCID iDs existentes de todos os integrantes de sua comunidade (estudantes, docentes e servidores técnico-administrativos). 
Mais informações podem ser encontradas no website: http://www.usp.br/orcid ou nos links abaixo:

Profissionais de genética encontram conteúdo especializado no Portal de Periódicos

A genética é uma categoria das Ciências Biológicas com vasto campo de atuação. O especialista da área pode tratar de segmentos ligados aos reinos animal, vegetal e humano, com abordagem de tópicos como genética do desenvolvimento, de microrganismos, molecular, de populações, evolucional, engenharia genética, aconselhamento genético, entre outros. O Portal de Periódicos da CAPES disponibiliza um rol de conteúdos com a temática, incluindo a base de dados da Genetics Society of America (GSA). 
O fomento a pesquisas da área tem se mostrado imprescindível. Com os avanços da tecnologia, é possível, por exemplo, mapear os genes humanos e detectar doenças muito antes que elas se manifestem – entre outras intercorrências que podem ser evitadas ou controladas. A plataforma da GSA contribui com essa necessidade, por meio da revista científica Genetics. O periódico publica pesquisas originais de alta qualidade, que apresentam novos achados sobre genética e genômica, além de estudos empíricos de organismos que vão desde micróbios a humanos, bem como trabalhos teóricos.

Genetics é uma publicação revisada e editada por pares, com alcance internacional e crescente visibilidade e impacto. Os usuários encontram no título vários tipos de conteúdo, como comentários, questões atuais de interesse para os geneticistas, perspectivas históricas e material para introduzir a literatura primária em sala de aula, além de coleções temáticas, com perspectivas de seleção genômica, populações multiparentais, genética do sexo e outras.

A edição de outubro já está disponível* para a comunidade acadêmica e científica que acessa o Portal de Periódicos – os usuários encontram em texto completo todos os volumes com período de cobertura a partir de 1916. O acesso à revista científica pode ser feito a partir da opção Buscar base, via plataforma Highwire Press ou diretamente na caixa de pesquisa Buscar periódico.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

SOS Ciência

Em vídeo produzido em parceria com a Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, cientistas brasileiros pedem ajuda à população contra os cortes orçamentários na área
Cientistas brasileiros divulgaram neste final de semana o vídeo-manifesto “SOS Ciência”, que faz um alerta e pede o apoio de toda população contra os cortes orçamentários na área de ciência e tecnologia no País e os efeitos que isso causará no desenvolvimento brasileiro.
A peça traz declarações de grandes personalidades da ciência brasileira. O vídeo abre com um panorama da atual situação da Ciência e Tecnologia brasileira, com o menor orçamento em todos os tempos; após isso, é listada uma série de iniciativas na área, como a criação de universidades públicas, laboratórios modernos e criação de novas tecnologias, e o que isso proporcionou ao País: transformação do Brasil na maior potência agrícola do planeta, descobertas como o bioetanol e o Pré-sal e o enfrentamento a doenças como zika, a febre amarela e a dengue.
No escopo de outras manifestações, como a 3ª Marcha pela Ciência e uma ampla mobilização no Congresso Nacional, a mensagem ao final do vídeo é clara: “A ciência brasileira precisa da sua ajuda. O orçamento de 2018 está sendo discutido agora no Congresso Nacional, e pode decretar a falência ou a sobrevivência de todo o desenvolvimento científico e tecnológico do país. Compartilhe essa mensagem: ciência não é gasto, é investimento. Investir em ciência é investir no futuro do Brasil”.
Assista ao vídeo completo aqui.
Jornal da Ciência
Os cientistas fizeram também uma petição; assine em Manifesto pela Ciência.